Keith Raniere, o criador da deturpada seita de sexo Nxivm, foi condenado hoje a 120 anos de prisão por seu papel como líder do culto. Para as mulheres que participavam do grupo, práticas controversas como a marcação com metal quente na carne (como as que se fazem em bois) e a coação a manter relações sexuais com Raniere eram comuns.

Ao longo do processo, o empresário manteve firme sua postura de inocente, afirmando que seus acusadores estavam mentindo. O argumento, contudo, não convenceu o juiz, que caracterizou seus crimes como “cruéis, perversos e extremamente sérios.” Além da pena de prisão, Raniere ainda terá que pagar uma multa de 1,75 milhão de dólares.

Entre as quinze testemunhas no tribunal, estavam pessoas que incutiram a Keith os crimes de tráfico sexual, estupro, escravidão sexual, pornografia infantil e trabalhos forçados. Em seu modus operandi, enquanto pregava como um guru sobre crescimento individual e espiritual, Keith mantinha uma complexa seita, na qual participavam até mesmo as conhecidas atrizes Allison Mack, de Smallville, e Nicki Clyne, de Battlestar Galactica.

Mesmo com os inúmeros relatos chocantes, Keith Raniere não perdeu por completo sua popularidade. Alguns de seus amigos e membros do Nxivm estavam presentes no julgamento, como forma de apoio. Mas isso não foi suficiente para amenizar a dura pena que recaiu, com razão, sobre o criminoso.