Processo sobre impeachment de Witzel vai ao plenário do STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes mandou para o plenário virtual o recurso em que a defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, tenta suspender o processo de impeachment iniciado contra ele na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). 

Afastado do cargo por 180 dias por decisão do Superior Tribunal de Justiça — onde é alvo de investigação por suspeita de corrupção, o governador contesta a formação da comissão de impeachment na Assembleia. 

Com a decisão do ministro do Supremo, o caso começará a ser analisado pelos ministros no dia 6 de novembro. Em agosto, Moraes já havia negado o pedido da defesa do governador e autorizado o prosseguimento dos trabalhos da comissão, paralisados após liminar do ministro Dias Toffoli.

Desde então, o processo de afastamento na Alerj foi aberto e desde o último dia 5 tramita perante o Tribunal Misto formado por cinco deputados estaduais e cinco desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio — que têm até 120 dias para concluir os trabalhos.

 

Continua após a publicidade