[ad_1]

A síndrome do esgotamento profissional, ou a Síndrome de Burnout, como é conhecida, é um distúrbio psíquico que causa exaustão extrema, e normalmente está relacionada ao trabalho de um indivíduo.

Leia mais: Síndrome de Burnout, saiba como identificar e como resolver

Assim, é resultante de um acúmulo excessivo de estresse, tensão emocional e de trabalho. É bastante comum essa síndrome aparecer em profissionais que trabalham muito sob pressão, que estão sempre pressionados para dar o seu melhor, ou seja, médicos, profissionais da enfermagem, publicitários e professores, por exemplo.

A síndrome de Burnout tem sido cada vez mais comum, e essa pressão, ansiedade e nervosismo acabam resultando em uma depressão profunda, de forma que os profissionais necessitam de cuidados médicos frequentemente. O diagnóstico é realizado por meio de uma consulta médica.

Uma das condições descritas dessa síndrome é o esgotamento físico, mental e emocional, muitas das vezes causado pelo acúmulo de estresse relacionado ao trabalho e ao estudo. Ele é identificada na maioria das vezes em pessoas onde o trabalho envolve o contato com o público.

Confira os sintomas da síndrome de Burnout:

  • Cansaço excessivo, físico e mental;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Alterações no apetite;
  • Insônia;
  • Dificuldades de concentração;
  • Sentimentos de fracasso e insegurança;
  • Negatividade constante;
  • Sentimentos de derrota e desesperança;
  • Sentimentos de incompetência;
  • Alterações repentinas de humor;
  • Isolamento;
  • Pressão alta;
  • Dores musculares;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a síndrome como uma doença ocupacional diretamente vinculada à atividade ou condições de trabalho. Por esse motivo, o trabalhador que portar a síndrome de Burnout terá direito ao auxílio-doença e aposentadoria por invalidez.

O auxílio-doença é um benefício para todo trabalhador que se encontra incapacitado de fazer suas atividades por mais de 15 dias. Para ter direito a esse auxílio, o profissional deverá passar pela perícia médica.

Se o trabalhador não conseguir recuperar sua capacidade de retorno ao trabalho, ele recebe o direito à aposentadoria por invalidez. Esse benefício é concedido pelo INSS para trabalhadores incapacitados de retornar ao trabalho ou atividade laborativa.

Para ter direito à aposentadoria ou auxílio-doença, é necessário que o trabalhador tenha pelo menos 12 meses de contribuição. Este período é denominado “carência”.

Vale ressaltar que a síndrome de Burnout não tem cura e sim tratamento, que é orientado por um psicólogo e normalmente inclui sessões de terapia, mas também pode envolver o uso de medicamentos. Mas, segundo psicólogos, o melhor tratamento é manter essas pessoas longe de situações que desencadeiam as crises.

[ad_2]

Leave a comment