Governo define ações em cidades atingidas pela enchente de lama

0
Crie o seu Negócio Próprio
A delegação do Governo do Estado, composta pelo chefe de Gabinete do Governador, Neivaldo Bragato; pelo secretário de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Coser; pelo diretor da Agência Estadual de Recursos Hídricos, Robson Monteiro; pelo coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Fabiano Bonno; pelo diretor de Operações do Interior da Cesan, Carlos Fernando Martinelli; e pelo gestor executivo da EDP Escelsa, Hudson Indrigo, esteve em Colatina na tarde deste sábado (07), onde participou de uma reunião com os prefeitos de Colatina e Baixo Guandurespectivamente Leonardo Deptuski e Neto Barros. Linhares enviou o secretário de Meio Ambiente, Rodrigo Paneto, como representante. Na reunião foi colocada toda a estrutura do Estado à disposição das cidades que serão atingidas pelo aumento da vazão do Rio Doce motivado pelo rompimento da barragem de rejeito de minério da empresa Samarco em Mariana, Minas Gerais. Outra prioridade éconscientização da população para que economize água devido ao possível problema de abastecimento nestas cidades.
O secretário de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Coser, pediu que a população se una ao Governo do Estado e aos municípios no enfrentamento dessa situação. “Estamos aqui em nome do Governador Paulo Hartung para colocar toda a estrutura do Estado àdisposição das cidades. Nosso primeiro objetivo é a preservação da vida das pessoas. Vamos avisar para que não fiquem próximas ao rio. A segunda prioridade é garantir o abastecimento de água para órgãos públicos com serviços essenciais à população, como hospitais e unidades de saúde, e onde mais os municípios considerarem necessário. E nosso terceiro objetivo é pedir que a população economize, faça reserva de água, porque vamos ficar um tempo sem água tratada nessas cidadesPortanto, quero convidar a população a se unir ao Estado e aos Municípios nessas ações para que possamos passar por esse momento da forma mais tranquila possível.”
A Defesa Civil Estadual também acompanha a situação e tem monitorado, junto às Defesas Civis municipais, o trajeto da lama. Uma das medidas a serem adotadas nesse sentido será a emissão de alertas por parte das Defesas Civis dos municípios que vão percorrer o Rio Doce para avisarpopulação sobre a chegada da lama, pois é comum as pessoas acamparem na margem do Rio, ainda mais neste momento em que ele está seco.
O Coronel Fabiano Bonno destaca que a população pode ficar tranquila, pois não vai acontecer nenhum desastre nos municípios do Estado: “Nosso foco é retirar a população ribeirinha que possa ficar em risco com o aumento da vazão do Rio Doce e auxiliar na logística, caso haja desabastecimento de água nas cidades de Colatina e Baixo Guandu. Neste domingo, contaremos com o apoio das aeronaves do Notaer para localizar os moradores de localidades próximas ao rio para avisá-los e retirá-los do local, garantindo sua segurança”.
Além disso, uma base operacional da Defesa Civil Estadual será montada em Colatina, ação elogiada pelo prefeito Leonardo Deptuski. “Essa é uma ação importante que vai garantir uma base de apoio no município”. Outra ação definida na reunião e considerada importante pelo prefeito é a suspensão dasaulas nas escolas estaduais e municipais.
Abastecimento
Os municípios de Colatina e Baixo Guandu terão dificuldades no abastecimento de água. Linhares nãopois faz capitação de água em outro Rio, o Rio Pequeno. Sendo assim, Linhares vai auxiliar no abastecimento de água para estas cidades. De imediato, o Governo vai ceder dez carros-pipa para ficar à disposição 24 horas para o abastecimento. Hospitais e unidades de saúde, além de outros órgãos públicos que prestam  serviços essenciais, terão abastecimento prioritário.
Para o prefeito Neto Barros, as cidades de Colatina e Baixo Guandu vão enfrentar problemas com a falta de abastecimento de água, mas afirmou que uma estratégia foi montada para que os municípios vizinhos, especialmente Linhares, possam auxiliá-los no abastecimento. Neto Barros destacou aindaação do Governo do Estado no sentido de reduzir os impactos da onde de lama nas cidades capixabas. “Todo o Governo se prontificou a ajudar os municípios. Desde esta sexta (06), o governador Paulo Hartung está em contato conosco, sendo solícito com os municípios”, afirmou.
Segundo o diretor de Operações do Interior da Cesan, Carlos Fernando Martinelli, haverá cooperação técnica com os três municípios capixabas afetados para monitoramento da qualidade da água. “A análise laboratorial da água do rio será feita pela Sanear e Saae de Baixo Guandu. A Cesan está em contato com os municípios mineiros afetados para receber dados sobre a qualidade da água e termos uma previsão de tempo para recuperação da qualidade da água do rio Doce na parte capixaba”afirmou.
O diretor de Infraestrutura e Reservação Hídrica da Agência Estadual de Recursos Hídricos, Robson Monteiro, informou que o órgão está monitorando o deslocamento da onda, com informações do Serviço Geológico do Brasil e da EDP. A previsão é que a lama chegue neste domingo em território capixaba.

 

Comece aqui a sua Carreira Digital de Sucesso

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA